Comitê Científico da Série Inconfidentia Philosophica

 

  • Célia López Alcalde (Universidade do Porto – Porto / Espanha)

  • Darci Fernandes Leão (Instituto de Teologia São José – Mariana – MG / Brasil)

  • Elke Beatriz Felix Pena (Instituto Federal de Minas Gerais – MG / Brasil)

  • Francisco Jozivan Guedes de Lima (Universidade Federal do Piauí – PI / Brasil)

  • Geraldo Luiz de Mori (Faculdade Jesuíta – MG / Brasil)

  • Hodjat Mariji (Universidade do Porto – Porto / Irã)

  • Ivonil Parraz (Seminário Arquidiocesano São José – SP / Brasil)

  • João Augusto Anchieta Amazonas Mac Dowell (Faculdade Jesuíta – MG / Brasil)

  • João Rebalde (Universidade do Porto – Porto / Portugal)

  • Luis Martinez Andrade (Université Catholique de Louvain – Bélgica / México)

  • Márcio Antônio de Paiva (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – MG / Brasil)

  • Massimo Pampaloni (Pontificio Istituto Orientale – Roma / Itália)

  • Paula Renata de Campos Alves (Instituto Federal de Minas Gerais – MG / Brasil)

  • Pedro Henrique Passos Carné (Fundação de Apoio à Escola Técnica – RJ / Brasil)

  • Rodrigo Reis Lastra Cid (Instituto Federal de Minas Gerais – MG / Brasil)

  • José Higuera Rubio (Universidade do Porto - Portugal / Espanha) 

 

Conselho Editorial Institucional

 

  • Adilson Luiz Umbelino Couto (ITSJ)

  • José Carlos dos Santos (FAM)

  • Lúcio Álvaro Marques (FAM / FAJE)

  • Maurício de Assis Reis (FAM / UFMG)

  • Soraya Cristina Dias Ferreira (FAM / PUC Minas)

  • Vander Sebastião Martins (FAM)

 

 

A Série Inconfidentia Philosophica pretende viabilizar um espaço acadêmico de publicação e debate de ideias, porque a função do conhecimento é abrir horizontes e não dogmatizar respostas. A inconfidência mineira representa ainda o tempo de inquietação e efervescência intelectual guiada pelos ideais libertários, por isso essa Série alicerça-se em três princípios básicos: a inquietação intelectual comum a todos que não se conformam com o establishment social vigente, a efervescência própria da vida acadêmica frente às mudanças e diretrizes governamentais acerca da educação, a função social da academia e a vocação à liberdade própria às ciências que reconhecem, continuamente, a microfísica social e institucional do poder que transforma sutilmente a ato de pensar em burocracia acadêmica, impedindo, muitas vezes, que o pensar cumpra sua função de provocação social. Nós, herdeiros da física einsteiniana da relatividade, acreditamos em uma epistemologia deflacionária, porque todas as formas de conhecimento estão continuamente perpassadas pelas relações de poder, de inter-esse e situam-se na relatividade do tempo presente. Por isso, a tarefa do pensamento inscreve-se, humilde e honestamente, não apenas nos limites da demanda do homo lattes, mas no compromisso com a sociedade e o tempo atual, isto é, com a vocação ao pensar inquieto, efervescente e livre. Dirige-se à sociedade tanto acolhendo propostas de publicação quanto visando ser um espaço de debate intelectual dos problemas do nosso tempo. Optando-se por uma epistemologia deflacionária, a Série não se reduz à apresentação de conteúdos filosóficos, porque reconhece a necessidade de conectar os saberes de todos os ramos do conhecimento ou religar os conhecimentos, segundo a expressão de Edgar Morin, para que a atividade acadêmica signifique, verdadeiramente, uma obra de pensamento em tempos de complexidade. A Série nasce nas terras da inconfidência e abre-se à colaboração de todos os que se inquietam diante dos problemas atuais, independentemente, da perspectiva do conhecimento, porque crê a necessidade de religar os saberes como caminho para a compreensão da realidade e pensar as relações que moldam o mundo em que vivemos. Nossos objetivos são i. propiciar espaço de divulgação e debate de conhecimentos, ii. viabilizar a circulação pública do conhecimento produzido fora ou nos limites da academia, iii. incentivar, à moda kantiana, o sapere aude, por crer que o sapere agens ou a ortopraxia decorre, em grande parte, da ousadia do pensar e/ou da ortodoxia, da honestidade do pensamento. Dessa forma, cremos colaborar com o desenvolvimento acadêmico e com a implementação de ideias socialmente fecundas em vistas de uma sociedade justa, igualitária e verdadeiramente democrática. O Conselho responsabiliza-se por receber as propostas de publicação, solicitar ao Comitê os pareceres e repassá-los aos autores. Se os pareceres do Comitê forem negativos, a publicação não será implementada na Série, entretanto agradecemos a submissão. Por isso, o fato de submeter um texto à avaliação não significa que será aceito para publicação. Quando for o caso, contamos com a compreensão do autor. Todos os textos aprovados pelo Comitê serão publicados conforme a agenda de submissões e de disposição de recursos. O Conselho Editorial Institucional reserva-se o direito de não publicar textos que contenham opiniões discriminatórias de quaisquer naturezas, embora respeite a opinião do seu autor. Ademais, o Comitê Científico, o Conselho Editorial Institucional e a própria Faculdade Arquidiocesana de Mariana não assumem nenhuma opinião ou juízo presente nos textos publicados. Sendo de inteira, irrestrita e exclusiva responsabilidade do autor quaisquer ônus e/ou bônus decorrentes do conteúdo do texto. A Série Inconfidentia Philosophica (representada pelo Comitê Científico, Conselho Editorial Institucional, Faculdade Arquidiocesana de Mariana e/ou Editor) isenta-se de toda e qualquer responsabilidade referente ao texto proposto para publicação ou mesmo já publicado no que refere aos direitos de propriedade intelectual. Qualquer violação de direitos de propriedade intelectual ou plágio, sob qualquer forma, é de inteira e irrestrita responsabilidade do autor do texto. Tornando-o passível de processo civil e judicial tanto pelos responsáveis da Série quanto por terceiros. Ademais, nenhum autor poderá alegar desconhecimento dessas responsabilidades ainda que acuse ausência de documentos. As regras estabelecidas nesta apresentação estendem-se a todos os conteúdos veiculados pela Série, sem qualquer exceção.

A submissão de textos para avaliação e possível incorporação à Série acontece por remissão dos mesmos ao Conselho Editorial Institucional através do correio eletrônico (inconfidentia.philosophica@gmail.com) que solicitará ao Comitê Científico os devidos pareceres. 

Volumes lançados:

NORMAS PARA SUBMISSÃO DE LIVROS NA SÉRIE

 

Normalização básica para configuração de texto a ser submetido à avaliação:

 

(1) citação no corpo do texto, prioritariamente: (Autor ano: página ou citação clássica) ou segundo os exemplos (Nietzsche 2001: 103) e (Platão 1946: 509b);

 

(2) citação nas referências: Nietzsche, F. 2001. Correspondência com Wagner. Tradução de M. J. de la Fuente. Lisboa: Guimarães Editores. Ou: Platão. 1946. Oeuvres completes VII-1: La République, livres I-VII. Texte établi par É. Chambry. Paris : Les Belles Lettres.

 

(3) Formatação do texto: folha A4, espaço 1,5, fonte Times New Roman, tamanho 12, parágrafo 1,25 cm, margem esquerda e superior de 3 cm e direita e inferior de 2 cm e para citações em recuo: tamanho 10, recuo de 1,25 cm, sem recuo de parágrafo ou aspas. Permitem-se notas de rodapé, exclusivamente, para discussões pontuais de estrita necessidade.

 

(4) Termos em destaque são permitidos em itálico ou entre aspas e reserva-se o uso de negrito apenas aos títulos, conforme os exemplos: (a) para título de capítulo – I. CIÊNCIA, LÓGICA E SABEDORIA (tamanho 12, centralizado), (b) para subtítulo (tamanho 12, alinhado à esquerda com parágrafo de 1,25 cm) – 1. Da ciência à sabedoria, (c) demais subdivisões (tamanho 12, alinhado à esquerda com parágrafo de 1,25 cm, itálico) – 1.1. A constituição da ciência, 1.2. A virtude da sabedoria.

 

(5) Textos em línguas estrangeiras sejam precedidos pela tradução e os demais, provenientes de línguas clássicas como grego e hebraico, sejam transliterados em caracteres latinos, conforme a convenção. Para o grego, por exemplo, consulte-se a obra de Livio Rossetti. 2006. Introdução à filosofia antiga: premissas filológicas e outras “ferramentas de trabalho”. Tradução de E. G. Verçosa Filho. São Paulo: Paulus.

 

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0