top of page
O último deus: uma investigação do lugar ontológico dos deuses no pensamento do Heidegger

Páginas

267

ISBN 

978-65-85958-16-5

DOI 

10.22350/9786585958165

O último deus: uma investigação do lugar ontológico dos deuses no pensamento do Heidegger

Marcos Ricardo da Silva

Anterior a todo real e todo agir, anterior até aos deuses é a natureza. Pois ela é "mais velha que os tempos", e está acima dos deuses. A natureza não está um pouco sobre os deuses, como se fosse um âmbito do real "por cima" deles. A natureza está "acima" dos deuses. Ela é " potente", consegue algo diferente dos deuses: uma vez que é clareira, tudo se faz presente nela. Hölderlin chama a natureza sagrada, pois é "mais velha que os tempos, e está acima dos deuses do Oeste e do Oriente". Portanto a "santidade" não é, de forma alguma, uma propriedade que pertença a um Deus subsistente. O sagrado não é sagrado porque é Divino; melhor dizendo, o Divino é que é divino porque é "sagrado" em sua essência. O Sagrado é a própria natureza.

Heidegger, "Explicações da Poesia de Hölderlin"

O último deus: uma investigação do lugar ontológico dos deuses no pensamento do Heidegger
bottom of page