Patrimônio natural dos Butiazais da Fazenda São Miguel

Páginas

182

ISBN 

978-65-5917-472-0

DOI 

10.22350/9786559174720

Patrimônio natural dos Butiazais da Fazenda São Miguel

Organizadores

Alexandro Marques Tozetti
Renata Krentz Farina
Mateus Raguse-Quadros

O butiá é uma palmeira que vive em clima subtropical. Um butiazal é a denominação dada a um contingente significativo de butiás. Algumas espécies de palmeiras, como o butiá, formam extensas populações e até hoje não há uma explicação sobre porque este fenômeno acontece. As palmeiras têm grande importância em muitas culturas ao longo da história. No oriente, entre os babilônicos, a tamareira, uma palmeira, era a planta dos deuses. No Egito, serviu de modelo para a ornamentação de colunas. As folhas pinadas das palmeiras foram usadas desde a antiguidade como símbolo da vitória, da alegria e da trégua nos jogos públicos. Os gregos a consideravam a árvores da luz e a consagraram aos deuses Hélio e Apolo. Na arte cristã, suas folhas sempre verdes sintetizam a vida eterna e a ressurreição e aparecem com frequência como vitória dos mártires, ou vitória do espírito sobre a carne. Este é o significado do Domingo de Ramos, de acordo com os quatro evangelhos canônicos, ramos de palmeiras foram balançados na entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. Como uma vitória, sinaliza o fim de um conflito ou competição, a palmeira se transformou em um símbolo da paz e no Islã é frequentemente associada ao Paraíso.

Carmen Heller Barros

Patrimônio natural dos Butiazais da Fazenda São Miguel