Direito, Arte e Negritude

Páginas

483

ISBN 

978-65-5917-108-8

DOI 

10.22350/9786559171088

Direito, Arte e Negritude

Organizadores

Rebeca de Souza Vieira
Veyzon Campos Muniz

Direito, Arte e Negritude é, para além de uma riquíssima coletânea de produções científicas, um ecossistema plural, seja por sua composição autoral étnico-racial diversa, seja pela profusão de saberes epistemológico-culturais que o constitui. Pensado e executado a partir da necessidade de difundir no debate público uma ampla reflexão sobre o racismo e seus nefastos efeitos e a valorização da (des)construção acadêmica antirracista e afrocentrada, o presente livro liga os campos da Arte e do Direito de maneira simbiótica, conferindo (re)conhecimento especialmente a saberes, pensadores(as) e artistas negros, em sua multiplicidade e riqueza de expressões. Tomando ainda a Negritude como uma ressignificação cultural que se edifica como uma ação política primordial, entre suas páginas, encontram-se pontes, intersecções, conhecimentos e parcerias epistêmicas que, com singular sensibilidade, técnica e artística, expõem o quão fundamental é bradar por equidade racial hoje e sempre.

Apresentação Ezilda Melo Prefácio Valores afro-civilizatórios e artivismo: um direito à arte a à negritude Aza Njeri 1 Das africanidades em minha trajetória como professora de história no ensino público Lindéa Ramos 2 A que literatura temos direito no espaço escolar? Márcia Letícia Gomes 3 A “escrevivência” de Conceição Evaristo: um olhar humano do artigo 3º da Constituição Federal – direito através da literatura Aline Venutto 4 “A gente combinamos de não morrer”: negritude, vozes e memórias periféricas Alice Meireles Da Silva Christopher Pereira Jones de Carvalho Lisiane Niedsberg Corrêa 5 “A gente combinamos de não morrer”: o direito à legítima defesa negra na obra “Olhos d’água” de Conceição Evaristo Jade Lorena Santos Andrade   6 Pelas ruas e vielas: as múltiplas facetas da violência no conto “Maria” de Conceição Evaristo Franciane Conceição da Silva Marcelo Felinto de Aragão Júnior 7 Igualdade e desigualdade racial no direito moderno: confrontando pressupostos a partir da colonialidade e da conversação Maria Carolina Fernandes Oliveira Rayann Kettuly Massahud de Carvalho 8 Desnudando privilégios: o potencial disruptivo da escrevivência negra na luta antirracista Chimelly Louise de Resenes Marcon Roberta Oliveira Lima 9 O encarceramento no Brasil é uma prisão familiar: análise a partir da poética de “O Infeliz” de Carolina Maria de Jesus Rebeca de Souza Vieira 10 Quando a ausência é um risco: escritas marginais, polícia e epistemicídio Carla Neves Mariani 11 Migrações internacionais e os atravessamos de raça e gênero na literatura de Chimamanda Adichie Karine de Souza Silva Isabella Nikel 12 “Pai contra mãe”: encontro do direito com a literatura crítica de Machado de Assis Paloma Leite Diniz Farias 13 Memoriais antirracismo: saídas da outridade Pensilvania Neves 14 “Incomodá-los em seus sonos injustos”: direito, literatura e decolonialidade Daniel Vitor de Castro 15 Nós e os outros: a filosofia política de Achille Mbembe nos filmes de Jordan Peele André Luiz de Rezende Junior Daniel Vitor de Castro 16 Blackkklansman, criminologia e a realidade brasileira: uma análise da obra cinematográfica à luz da criminologia crítica e do racismo estrutural Amanda Gonçalves Prado Quaresma 17 A estética do homem branco como manutenção da dominação: negar a totalidade/exterioridade para a positividade contra a classificação do negro como indesejável Kamilla Faria Mello Leonardo Costa de Paula 18 Direito ao desenvolvimento em Queen & Slim: equidade de raça e gênero em perspectiva sustentável Veyzon Campos Muniz 19 Lovecraft Country, antirracismo e desenvolvimento Veyzon Campos Muniz 20 Afrociberdelia, Deus e o Diabo na Terra do Sol: uma literatura em duas narrativas Dinah Lima Thiago Aguiar de Pádua 21 Cultura, tradição, direitos humanos e arte no sertão nordestino: uma leitura da peça Festa do Rosário de Lourdes Ramalho Ezilda Melo 22 O perfil azeviche antirracista que a negritude em cena criou: o teatro negro brasileiro ante a violação de direitos fundamentais Régia Mabel da Silva Freitas 23 Direito ao aquilombamento: desenvolvimento sustentável a partir do Teatro Experimental do Negro e do legado de Abdias do Nascimento Veyzon Campos Muniz 24 “Não descarrega sua arma em mim”: a música como instrumento jurídico de combate ao genocídio negro João Pablo Trabuco 25 Arte e luta: a música negra enquanto instrumento para dar voz aos movimentos sociais Tirza Natiele Almeida Matos Gabriela Caroline Batista dos Santos Tainah Souza Silveira 26 “Os inimigos ‘tão’ testando a nossa fé”: grupo Opanijé e a luta contra o racismo religioso Catharina Maia Caetano 27 A importância das mulheres no pagode baiano e sua influência na representação das jovens negras Dandara Amazzi Lucas Pinho Rafaela Tavares Von Czekus 28 Olhares negros sobre o direito e a sociedade: o rap como forma de denúncia, protesto e reivindicação de direitos Max Michel da Silva Souza Wânia Guimarães Rabêllo de Almeida   29 A resistência tem cor: apontamentos sobre negritude, arte urbana e o direito como instrumento de valorização do Graffiti Katharina Meneses 30 Equação direito e violência (ou a Original Intention’s no relato-olhares de Nikky Finney, Saidiya Hartman e James Boyd White) Leandro Rocha Jacondino 31 Tratamento jurídico do racismo como psicopatologia social no Brasil Paulo Ferrareze Filho 32 Existências na agência afrocentrada da arte negra Eduardo Guedes Pacheco Janine Nina Fola Cunha Posfácio Direito ao futuro e a negritude como caminho Veyzon Campos Muniz Sobre Lekings e a capa Sobre Tramando Ideia Rap e as intervenções poéticas Sobre a organização da obra
Direito, Arte e Negritude