A mulher–professora em assentamentos da Reforma Agrária: uma escrita que se faz história

Elisângela Santos de Amorim; José Fernando Manzke

Nesta investigação decidimos dar continuidade ao estudo mais específico sobre as Mulheres-Professoras que moram e trabalham nas áreas de assentamentos, buscando uma interface com as relações de gênero. Optamos então por desenvolver a pesquisa na mesma região, Sudoeste do Estado do Maranhão, abrangendo quatro assentamentos dos municípios de Açailândia, Cidelândia, São Francisco do Brejão e Senador La Rocque. A proposta inicial incluía o município de Amarante, mas devidos a problemas logísticos e de apoio pela Secretaria de Educação do município não foi possível concretizá-lo. O projeto original desta investigação tinha como foco central a trajetória pessoal, educacional e profissional de mulheres professoras em assentamentos da Reforma Agrária na região Tocantina (Sudoeste) do Estado do Maranhão. No trabalho preliminar de demarcação do campo de pesquisa e dos indivíduos a serem entrevistados, deparamo-nos com uma situação diferenciada: um professor, homem, morador de assentamento e representante de uma nova geração de trabalhadores rurais nascidos e criados nos embates dos movimentos sociais por terra. A oportunidade era única de nos aproximarmos da experiência diferenciada representada por Chico e uma nova geração de professores e professoras, trabalhadores rurais de assentamentos. Somamos seu depoimento ao de Angel, Emma, Deuza, Delzy, Lucy e Délia, mulheres professoras representantes da maioria do corpo docente do meio rural, assim como do urbano.

ISBN: 978-85-5696-751-0

Nº de pág.: 55

© 2020 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0