Entre o aggiornamento e a solidão: práticas discursivas de D. Antonio Mazzarotto, primeiro bispo diocesano de Ponta Grossa – PR (1930-1965)

Rosângela Wosiack Zulian

D. Antonio Mazzarotto nasceu em 1890, em Santa Felicidade (Paraná). Entrou no Seminário Episcopal de Curitiba em 1905 e foi ordenado em 1914 por D. João Francisco Braga, terceiro bispo da diocese de Curitiba. Ainda um jovem sacerdote, foi vigário cooperador da Catedral de Curitiba, angariando fama de erudição, eloqüência na pregação e empenho na direção espiritual da juventude, elementos presentes na documentação trabalhada e em depoimentos colhidos ao longo da pesquisa. Desde a época do seminário, onde entrou em 1905, até 1965, quando renunciou, sua produção foi incessante (em ensaios, nas publicações católicas e nos jornais da cidade, incluindo aí sermões, discursos, conferências, pregações em retiros), voltando-se especialmente para a escrita de cartas pastorais, publicadas de forma determinada e pontual, todo dia 23 de fevereiro, aniversário da sua ordenação. O costume de publicá-las foi generalizado no episcopado nacional, posto que instrumentos por excelência para a difusão de um programa e a execução de um projeto. As cartas pastorais representam o bispo junto aos fiéis, tanto ao expressar, através dos suportes simbólicos do texto em sua organização e imagens, as suas preocupações, interesses e determinações, quanto as suas relações com os poderes, o clero, a sociedade. Dessa forma, incorporam tradições, sistemas de valores, formas institucionais, em suma, as imagens com que o grupo veicula e gere sua identidade. As cartas pastorais de D. Antonio Mazzarotto configuram textos canônicos que revelam tanto a universalidade da Igreja Católica quanto a especificidade do endereçamento, ou seja, o clero e os fiéis católicos da diocese de Ponta Grossa, Paraná. O conjunto das temáticas abordadas nas 36 pastorais, à primeira vista, apresentava um caráter catequético e pastoral, uma vasta e extensa doutrinação destinada a uma diocese que, pela primeira vez, sediava um bispado. No entanto, D. Antonio tinha um projeto, expresso no lema de seu episcopado, Adveniat Regnum Tuum, vinculado ao projeto de Pio XI, pontífice do tempo de sua ordenação episcopal, Pax Christi in regno Christi. Em ambos, bispo e papa, a idéia de restauração do reino de Cristo na terra está presente.

ISBN: 978-85-5696-743-5

Nº de pág.: 515

© 2020 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0