A ditadura civil-militar perante a história: pesquisas em perspectiva

Isadora Dutra de Freitas; Leonardo Fetter da Silva (Orgs.)

A abertura e digitalização de importantes conjuntos documentais sobre o período ditatorial brasileiro favoreceram o desenvolvimento de novas pesquisas associadas às múltiplas contribuições trazidas pela História Política renovada – ainda que seja fundamental abrir arquivos da repressão ainda sob sigilo. Jovens historiadores, cientistas sociais e filósofos podem se debruçar sobre arquivos recém-abertos e ainda inexplorados, além de contar com a riqueza da História Oral para compreender um dos mais terríveis períodos da História do Brasil: os vinte e um anos da ditadura civil-militar. Iniciada com o golpe de 1964, que pôs fim a tentativa de implementação de um conjunto de reformas de base que favoreceriam a expansão da cidadania, a ditadura, dentre outras ações, promoveu a adoção do terrorismo de Estado (em especial, a partir de 1968), ampliou a concentração de renda e a desigualdade social e cercou as liberdades artísticas e de imprensa. Períodos duros para uns, de enriquecimento para outros – com destaque para segmentos do empresariado; intelectuais alinhados à direita; políticos conservadores; setores das classes médias; capital financeiro e especulativo.

Tatyana de Amaral Maia

Professora adjunta da Escola de Humanidades e do PPGH/PUCRS

Nº de pág.: 317

ISBN: 978-65-87340-73-9

DOI: 10.22350/9786587340739

ENCOMENDAR

© 2020 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0