Transculturação e identidades na obra de Daniel Munduruku

Leandro Faustino Polastrini

Esta obra tem como objetivo refletir sobre a identidade cultural do índio brasileiro na produção literária do escritor indígena Daniel Munduruku, pelo viés do processo da transculturação. Na contemporaneidade é possível observar que no contexto de efervescência dos movimentos sociais/culturais as produções literárias de grupos marginalizados ou das minorias estão em evidência no cenário literário. Desta forma, os indígenas por meio dos seus escritores estão também em ascendência. É um marco importante na história da Literatura Brasileira, pois por muitos anos o índio era apenas personagem dos contos e das histórias ficcionais dos escritores não índios, e agora ele passou a ser:  elaborador/narrador/protagonista de sua própria história. Portanto, analisamos como os discursos de construção de identidade(s) se configura(m) nas seguintes obras de Munduruku: O sinal do pajé (2003); Sabedoria das Águas (2004); Todas as coisas são pequenas (2008) e Meu vô Apolinário (2009), pensando estas obras e/ou literatura como um produto transcultural.

 

ISBN: 978-85-5696-632-2

Nº de pág.: 184

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0