De Magistro

 

Santo Agostinho

Tradução anotada e comentada de Antonio A. Minghetti

 

Os fundamentos de teoria do conhecimento de Agostinho aparecem em De Magistro como um tratado pedagógico, na forma de colóquio pelo qual o pai Aurélio Agostinho, aclara a seu filho Adeodato que, somente no mundo divino poderia existir a perfeição do ser e a luz do verdadeiro conhecimento. Último diálogo filosófico de Agostinho, redigido após a morte prematura do filho, que então contava com dezesseis anos, mostra a dependência recíproca da palavra e do pensamento, ao tratar da questão da linguagem na comunicação entre os homens, contudo, conceitua principalmente aspectos pedagógicos ligados a linguagem do pensamento interior.

 

Antonio A. Minghetti é doutorando em Filosofia pela PUC - RS; Mestre em Teorias, História e Crítica da Tradução pela UFSC - SC; Mestrando Interdisciplinar em Saúde Coletiva, Tecnologia e Educação pela UNIFOA - RJ; Especializado em Educação pela UNIPLAC - SC; Bacharel em Música Erudita pela FASC - SP; Bacharel em Filosofia pela UNISUL - SC; Pesquisador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Medievais - Meridianum da UFSC e, do Grupo de Estudos em Teologia, Filosofia e Religião da PUC RS; Professor colaborador do INEP.

ISBN: 978-85-66923-61-2
Nº de pág.: 150

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0