A estrutura das práticas pedagógicas na educação especial: o que indicam as pesquisas

Angelo Antonio Puzipe Papim; Mariane Andreuzzi de Araujo (Orgs.)

Como todo fenômeno, a educação especial e as práticas pedagógicas, peculiares a esse segmento da educação, fazem parte de uma estrutura sociocultural construída diante de necessidades históricas. A estrutura educacional presente na educação especial assimila modalidades de ensino e aprendizagem desenvolvidas em experiências científicas ou enquanto parte da prática docente, através de relatos de experiência, a fim de organizar as ações e os objetivos pertinentes ao ato educacional. A construção social da educação, principalmente a educação especial, emerge da necessidade mais geral, em dado contexto social. As pesquisas realizadas nesse campo fornecem descrições para os agentes encontrarem maneiras de articular, frente ao contraste sociocultural, emocional, profissional etc., formas de promover a ação educacional. Análogo ao trabalho de cartografia, as pesquisas indicam meios para estabelecer a comparação entre os processos de construção de práticas pedagógicas, com o objetivo de encontrar um modelo voltado a atender professores e crianças de diferentes contextos socioculturais, as quais são marcadas por uma inter-relação de ensino e aprendizagem. Os estudos são fecundos, por proporcionar a caracterização de diferentes modalidades de proporcionar o movimento educacional, com metodologias que evidenciam uma regularidade na ação e pensamento, com profundo potencial de imbricação a diferentes realidades educacionais. É através de um olhar e viver a interação pedagógica, no contexto da educação especial, que a atividade de ensino e aprendizagem se torna uma unidade de análise, contendo em seu interior as três qualidades do fenômeno social: causalidade, regularidade e previsibilidade.

 

ISBN: 978-85-5696-602-5

Nº de pág.: 177

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0