Imagens em fuga de um mundo em miniatura: a constelação do despertar nas Passagens de Walter Benjamin

Abrahão Antonio Braga Sampaio

A presente obra visa caracterizar a problemática dos múltiplos significados da constelação do despertar histórico como ponto de convergência para a constituição da “reviravolta dialética” esboçada no projeto das Passagens (1927-1940), de Walter Benjamin (1892-1940). Essa concepção dialética do tempo histórico desdobra-se com base na valorização benjaminiana da noção de imagem. Trata-se de apresentar o espaço simbólico das imagens oníricas como produções sociais e históricas determinadas – as imagerie esfuziantes de Paris do século XIX, as quais interpenetram o antigo e o novo e configuram todas as construções da sociabilidade moderna – e o modo como estas compõem o quadro de sua respectiva interpretação na construção da imagem dialética. Indica-se, inicialmente, a necessidade de abordar as determinações conceituais do sonho coletivo nos próprios fenômenos culturais, em sua visibilidade material, cujas principais fontes serão os documentos rejeitados pela historiografia burguesa, os resíduos históricos. Para tanto, será abordada a gênese desse procedimento em alguns textos de juventude e, posteriormente, no conceito marxista de fetichismo da mercadoria. Tomando por índices históricos concretos os principais fenômenos trabalhados nos arquivos temáticos das Passagens, vislumbram-se como esses conceitos se relacionam. Assim, a constelação do despertar é apresentada como um conjunto de estratégias de exposição que oferecem uma imagem polarizada do pensamento político e estético de Benjamin, que entrecruza, de modo único, comentário filológico e crítica filosófica e materialismo dialético e messianismo judaico. Com o primado da reflexão política sobre a história, coloca-se a arquitetura interna das Passagens que configura a construção de conceitos cognitivos críticos: a constatação das imagens arcaicas e sua respectiva interpretação na imagem dialética. A tais passos metodológicos do materialismo histórico benjaminiano ajunta-se uma terceira dimensão que abrange a ambas e fornece seu núcleo crítico: o elemento utópico-messiânico. Com isso, pretende-se mostrar os elementos fundamentais de uma escrita revolucionária da história em Benjamin, válida para a leitura dos demais textos de sua obra tardia.

ISBN: 978-85-5696-471-7

Nº de pág.: 246

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0