Teoria do conhecimento e educação em Jean-Jacques Rousseau

Manoel Jarbas Vasconcelos Carvalho

O problema inicial que motivou a escrita deste livro surgiu da leitura de Emílio, de Rousseau. Nessa obra, foi possível perceber a ação de diversos matizes teóricos, como o racionalismo e o empirismo, atuando no desenvolvimento do plano educacional feito por Rousseau para o seu aluno imaginário (Emílio). A pergunta que conduziu nossa curiosidade, desde então, foi saber se existia uma teoria do conhecimento própria ao pensamento de Rousseau e, se positiva a resposta, como ela estava ligada às suas teorias da educação. No conjunto de suas obras, descobriu-se a filiação de Rousseau a autores como Descartes, Leibniz, Locke e Malebranche, como também a Condillac, Diderot e Helvétius. À medida que se avançava na leitura da grande obra filosófica de Rousseau, percebeu-se uma teoria do conhecimento original, que aceita que pensamentos opostos convivam num mesmo espaço. A pedagogia de Emílio surgiu de uma miscelânea dessas teorias e de inúmeras depurações filosóficas promovidas por Rousseau no interior do seu pensamento. O objetivo deste trabalho, portanto, é compreender a origem e o desenvolvimento da teoria do conhecimento de Rousseau, para, em seguida, entender como ele formulou suas teorias sobre educação, principalmente no Emílio. O trabalho se divide em três momentos: a primeira parte tem como intenção investigar os fundamentos da epistemologia rousseauniana através de suas influências filosóficas; a segunda parte prioriza as questões concernentes às suas teorias da educação; e a terceira e última parte procura investigar a ligação entre teoria do conhecimento e educação no interior do pensamento do filósofo genebrino.

Nº de pág.: 532

ISBN: 978-65-5917-397-6

DOI: 10.22350/9786559173976