Uso de animações em stop motion no ensino de Química: uma proposta cognitivista

Angélica Mattiolli Rodrigues; Gustavo Bizarria Gibin

Angélica Mattiolli Rodrigues e Gustavo Bizarria Gibin são autores de “Uso de animações em stop motion no ensino de Química: uma proposta cognitivista” e com ela oferecem ao leitor uma obra que traduz a melhor expectativa de Isaac Asimov e o legado de George Melies. Numa pesquisa envolvendo o ensino de Química, nos apresentam ricas possibilidades para o ensino de eletroquímica para o Ensino Médio ou o Ensino Superior, valendo-se de aplicativos passíveis de serem utilizados pelos alunos, com base no smartphone. O desenvolvimento de práticas educativas que se baseiam no smartphone e nas técnicas de stop motion fazem parte de um exercício reflexivo que exige sustentação epistemológica, eis um dos aspectos levantados na obra de Angélica e Gustavo. Daí, todo o empenho dos autores em recusar tratamento fetichista da tecnologia e ressaltar que a sua vivência no ensino requer a companhia de obras que se preocupam com temas como: O que é conhecer? Como conhecer? Qual o papel de professor e aluno na construção do conhecimento?

 

Humberto Perinelli Neto

Docente da Unesp/Ibilce/São José do Rio Preto

 

Nº de pág.: 214

ISBN: 978-65-5917-390-7

DOI: 10.22350/9786559173907