Ética dos nomes próprios

Ayala Gurgel

A tese principal, ou pelo menos a que é mais cara ao autor, é a de que é preciso haver uma reflexão ética sobre o uso dos nomes próprios. Não é difícil perceber que esta tese é um corolário daquela. Se nomes próprios são usados para situar o nomeado numa ordem valorativa e num emaranhado de relações de poder dentro da tessitura social, o uso dos nomes próprios é eticamente relevante, e, se assim é, os filósofos morais deveriam refletir sobre esse uso. De fato, no entender do autor, essa não é apenas uma sugestão facultativa, mas uma pauta obrigatória para a filosofia moral. A tese mestra que ele defende, portanto, é a de que uma ética dos nomes próprios é não apenas possível ou aconselhável; ela é necessária e urgente. É essa tese, acima de qualquer outra, que ele almeja tornar plausível aos olhos do leitor. 

Cícero Antônio Cavalcante Barroso

Universidade Federal do Ceará

 

Nº de pág.: 206

ISBN: 978-65-5917-355-6

DOI: 10.22350/9786559173556