Arte de capa: pointinpassing.com

Tragédia, ciência e política da verdade:

uma arqueologia das relações internacionais

Hugo Arend

Tomando os escritos de Michel Foucault como perspectiva, são analisadas as condições discursivas de possibilidade do velamento do terrorismo como problema de pesquisa nas Relações Internacionais, entre 1910 e 2001. Partindo da constatação empírica que o terrorismo não foi problematizado nas principais obras de RI no período, argumenta-se que apenas após o Onze de Setembro o terrorismo passou a ser considerado um problema a ser estudado. O velamento do terrorismo nas RI foi possível, em parte, devido à necessidade política de vincular a segurança internacional à tragédia de modo a legitimar e sustentar relações de poder entre estados e populações e que, portanto, discursos de tragédia são constitutivos da segurança internacional na medida em que apenas a tragédia é capaz de sustentar ações estatais de exceção. O objetivo do livro é problematizar os efeitos da política de verdade e como o pensamento acadêmico de RI pode ser útil e operacionalizado dentro de dispositivos de segurança de modo a sustentar e disseminar relações de poder/saber, constituindo subjetividades, práticas e saberes.

 

ISBN: 978-85-5696-349-9

Nº de pág.: 275

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0

Arte de capa: pointinpassing.com