Diálogos críticos, volume 4: Diversidade e autonomia x padronização e controle na educação pública: projetos em disputa

Ana Maria Vergne de Morais Oliveira; Antônio Marcos da Conceição Uchoa; Ivânia Paula Freitas de Souza Sena; Maria Elizabeth Souza Gonçalves (Orgs.)

De que disputa estamos a falar? Vivemos a disputa entre projetos antagônicos. O liberal versus o desenvolvimentista versus o socialismo. O mercado versus o Estado. Os valores do Estado mínimo versus os valores do Estado de bem-estar. Os direitos sindicais e laborais versus relações de trabalho flexíveis. A educação emancipadora versus uma educação neotecnicista e alienante. Vivemos graves níveis de concentração de renda e de riqueza que implicam miséria, pobreza, baixos salários e acesso precário aos bens e serviços sociais básicos. É urgente nos posicionarmos, revelarmos a prática real e enfrentarmos o conflito redistributivo entre capital e trabalho. A superação deste momento em favor de uma sociedade emancipada depende de uma práxis revolucionária, incluindo a capacidade dos sujeitos históricos para se apropriarem dos recursos que têm sido capturados pelo poder econômico, mas também do processo educacional que forma consciência a partir da prática de classe trabalhadora, na perspectiva de uma consciência para-si. Será preciso desbravar caminhos para construir uma agenda de transformações que priorizem a igualdade social.  Esta tarefa requer que se façam complexas mudanças estruturais e superestruturais numa dinâmica dialética e indissociável. A tarefa é complexa! Tanto pelo caráter estrutural do fenômeno quanto pelo conservadorismo presente na sociedade capitalista. Mas não há outro caminho! É preciso enfrentar as diversas faces da crônica desigualdade social, e aqui especificamente pela educação.

 

Kátia Augusta Curado Pinheiro Cordeiro da Silva

Nº de pág.: 374

ISBN: 978-65-5917-348-8

DOI: 10.22350/9786559173488