Argumento Ontológico como prova da existência de Deus: o desenvolvimento de Anselmo de Aosta e a crítica de Immanuel Kant

Ítalo Rafael França Rio Tinto

Fundamentalmente, o que se evidencia, neste percurso proposto aqui, são as condições de possibilidade de uma afirmação teológica à luz dos estudos filosóficos, considerando-se, inclusive, o tempo e o método científico utilizados em cada análise e construção teóricas. Em outras palavras, pudemos perceber, com esta investigação proposta por Rio Tinto, não o desmonte de um argumento teológico por uma investigação filosófica a partir de Kant, o que poderia ser até mesmo anacrônico, dado o tempo transcorrido entre os autores e suas visões de mundo possíveis em consonância com o período em que viveram, mas, sobretudo, como garantir que sejam mantidas as condições de possibilidade de um debate e o necessário respeito pelas diferentes concepções apresentadas, na contemporaneidade, apreendendo, também, seu valor epistemológico e enunciativo, sem que se proponha o esvaziamento teórico e metodológico do oponente. A proposição é, portanto, mais vigorosa do que se pode imaginar, pois passa pela compreensão e pela elucidação sincrônica e diacrônica do cunho analítico proposto por cada um dos autores, a partir dos valores e das concepções de mundo aportadas. Ademais, todo intento dessa envergadura jamais desconsidera a análise do seu próprio modo de proceder e de investigar.

 

Pe. André Luís Araújo, SJ

Nº de pág.: 83

ISBN: 978-65-5917-346-4

DOI: 10.22350/9786559173464