O hedonismo qualitativo de J. S. Mill 

Bruno Botelho Braga

O objetivo desta obra é provar que o hedonismo qualitativo de John Stuart Mill é uma boa resposta à objeção perfeccionista aventada contra o hedonismo benthamiano. Para tanto, esta pesquisa se divide em três partes essenciais. Em primeiro lugar, após apresentar o princípio da utilidade e a teoria do valor de J. Bentham, apresento o que chamo de “objeção perfeccionista”, demonstrando que o hedonismo qualitativo de Mill surgiu como uma tentativa de superar tal objeção. Em segundo lugar, discuto pormenorizadamente os conceitos de “qualidade” e de “juízes competentes”. Faço isso com o intuito de demonstrar que esses dois conceitos, se entendidos corretamente, possibilitam à teoria hedonista de Mill acomodar a intuição exigida pela objeção perfeccionista. E em último lugar, após apresentar a famosa acusação de que o hedonismo qualitativo desenvolvido por Mill é inconsistente, procuro sustentar que as acusações, embora razoáveis, podem ser respondidas satisfatoriamente. Concluo, por fim, que o hedonismo qualitativo desenvolvido por John Stuart Mill é, sob todos os aspectos, uma boa alternativa ao hedonismo benthamiano.

 

ISBN: 978-85-5696-344-4

Nº de pág.: 138

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0