Fetichização do poder como fundamento da corrupção: uma proposta a partir da filosofia latino-americana de Enrique Dussel

Bruno Reikdal Lima 

Tendo como motivação e ponto de partida os acontecimentos e experiências políticas da segunda década dos anos 2000 no Brasil, em nossa pesquisa lançamos mão do método analético e da filosofia produzida por Enrique Dussel para explicitar sua proposta de “fetichização do poder” e apresentá-la como fundamento da corrupção nas instituições. Para tal, em nosso primeiro capítulo, constituímos junto ao filósofo latino-americano a base material antropológica que dá conteúdo e que sustenta sua política. Em seguida, apresentamos os princípios ético-políticos de sua filosofia da libertação que guiam o processo de institucionalização de uma comunidade de vida. No terceiro capítulo, desenvolvemos a diferença entre o exercício obediencial e o exercício corrompido do poder, abrindo caminho para a explicitação do processo de “fetichização do poder”, tomando-o como fundamento da corrupção nas instituições. Cabe indicar que tomar a produção em filosofia política do latino-americano Enrique Dussel não implica em pressupor que a corrupção seja um problema exclusiva ou redutivamente do campo político, mas que tomaremos a produção em política como estudo de caso para construir um modelo teórico aberto que permita evidenciar o fundamento da corrupção institucional em diversos campos – ainda a ser criticado, melhorado e/ou transformado.

ISBN: 978-85-5696-293-5

Nº de pág.: 232

© 2020 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0