A alteridade do real ou da in-condição proletária: ensaio sobre significância e justiça em Emmanuel Levinas

Tiago dos Santos Rodrigues

Esta obra procura apresentar a correlação entre significância e justiça que há no pensamento do filósofo lituano-francês Emmanuel Levinas, ou seja, como que o nascimento do sentido é chamado à realização da justiça com os próximos e distantes. Portanto, nos importará muitíssimo não nos iludirmos com a moral para tampouco nos iludirmos com o real. Que o ético signifique para além das boas intenções e dos tratados bem firmados, que a subjetividade encontre um “fundamento” outro que a própria certeza de si, que o saber seja mais do que um conteúdo proposicional ou uma atividade imanente à consciência, que a relação com o corpo próprio não se descreva em termos de propriedade, que o materialismo possa ser reivindicado como a mais alta espiritualidade, que o humanismo possa ser denunciado quando pouco humanista se apresenta, que a liberdade não seja a “essência” mesma do humano; mas que o mais de responsabilidade imputada do outro a mim signifique uma sujeição distinta de uma escravidão, um mandato para lá ou aquém da minha vontade, que o esquecimento do outro nos escandalize mais do que um esquecimento do ser – nada disso será de pouca monta a quem, com a criação inteira, chora em dores de parto e em suas entranhas, em sua própria carne, gesta e deseja o que é mais alto e melhor que o ser: o Bem.

ISBN: 978-85-5696-248-5

Nº de pág.: 150

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0