Redes de resistência das comunidades educativas no contexto de pandemia

Karlane Holanda Araújo; Anderson Gonçalves Costa (Orgs.)

Enquanto os cientistas da saúde buscavam freneticamente uma vacina para combater o vírus, os cientistas da educação procuravam estratégias e alternativas para manter os alunos, durante os duzentos dias letivos, conectados com o conhecimento escolar. O escancaramento da desigualdade de condições de acesso à internet e a dispositivos para acesso ao ensino remoto por parte dos alunos trouxe à tona uma realidade já conhecida – as iniquidades na oferta da educação brasileira – que afetam de forma contundente os mais pobres, os mais pretos, aqueles que moram nas localidades rurais, nos menores municípios, nos estados mais pobres etc. Ao procurar registrar experiências e resultados de pesquisas, os organizadores desta obra e os autores dos capítulos assumem um compromisso com o presente e deixam um legado para o futuro. De como foi, o que foi feito, quem esteve presente na linha de frente, o que foi aprendido. Que sirva de referência para o futuro.

 

Eloísa Maia Vidal

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC)

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação

da Universidade Estadual do Ceará (PPGE-UECE)

 

Nº de pág.: 183

ISBN: 978-65-5917-181-1

DOI: 10.22350/9786559171811