A festa do divino Espírito Santo: memória e religiosidade em Natividade-Tocantins
 

Poliana Macedo de Sousa

O livro A festa do divino Espírito Santo: Memória e religiosidade em Natividade-Tocatins analisa as festividades que ocorrem nesta cidade em louvor do culto mencionado na contemporaneidade, destacando alguns dos seus aspetos mais significativos. Tratando-se de uma cerimónia religiosa, integra, como todas, muitos elementos profanos, dando voz à cultura local e às multifacetadas formas dela se exprimir. Transportada da Metrópole para o Brasil, a festa do Pentecostes ou do Espírito Santo foi fomentada pelos agentes locais, de que se destacam os franciscanos, e apoiada pelas elites e pelo poder régio. Porém, rapidamente envolveu todos os crentes, tornando-se numa grande manifestação de religiosidade popular. Esta adesão da população prende-se com a criação de mais um palco de atuação, nomeadamente para os grupos sociais mais destacados, e com a oferta de um bodo, juntando todos os carentes de alimento, disponibilizando-lhes comida e aliviando as dificuldades alimentares de um quotidiano marcado pela penúria. A precisão do tempo histórico em que este culto chegou ao Brasil é difícil de estabelecer, todavia, ganhou adesão em muitas localidades e ainda hoje é celebrado de forma festiva. Em Portugal, o culto ao Espírito Santo remonta à Idade Média, mas foi no período seguinte que ganhou maior esplendor. A ele estiveram associadas algumas confrarias, mas o orago transbordou para outras instituições, como foram, por exemplo, os Hospitais, ganhando grande expressão em todo o continente, mas sobretudo nas ilhas dos Açores. A temática tem sido objeto de estudo de historiadores, mas também de sociólogos, antropólogos e etnólogos.

ISBN: 978-85-5696-133-4

Nº de pág.: 222

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0