“Verás que um filho teu não foge à luta”: a contravigilância na sociedade em rede e a nova ação conectiva dos movimentos sociais do século XXI

João Pedro Seefeldt Pessoa

Na sociedade em rede, as relações sociais - e de poder - são estruturadas de modo multidirecional, numa distribuição horizontal de interações, em que as redes competem e cooperam entre si. O Estado em rede é apenas um nó nesse jogo de poder, que, para manter a dominação imperial, usa dispositivos de controle e vigilância institucionais e totais. Essa mudança paradigmática também possibilita o compartilhamento de ideias entre atores sociais, fortalecendo redes de contrapoder para refutação de discursos, inclusive por meio de mecanismos de contravigilância, isto é, pela alteração do sentido de vigilância para transformar o objeto de vigilância em sujeito de vigilância, notadamente se utilizados pelos movimentos sociais do século XXI, especialmente depois da Primavera Árabe. Esta obra reflete sobre a nova ação coletiva (conectiva) dos movimentos sociais do século XXI, mobilizada pelas tecnologias de informação e comunicação, a partir da expansão de uma contravigilância em desfavor da vigilância global arquitetada pelas redes de poder imperial, de tal forma que, caso utilizada como articulação social para contestar discursos hegemônicos e mudar narrativas dominantes, pode expressar um contrapoder na sociedade em rede e representar um exercício de democracia pela reinvenção da esfera pública em favor de projetos políticos alternativos de uma multidão digitalmente conectada.

Nº de pág.: 234

ISBN: 978-65-5917-102-6

DOI: 10.22350/9786559171026

ENCOMENDAR