Indicações Circunstanciais: signos potencializadores da aprendizagem significativa subversiva de conceitos na experimentação animal

Marcela Teixeira Godoy; Carlos Eduardo Laburú

Este livro propõe uma discussão a respeito do aprimoramento dos mecanismos dialógicos de aprendizagem sob uma perspectiva semiológica construtivista. Toda mensagem transmitida por um emissor por meio de sinais diretos é sempre incompleta para o receptor podendo gerar má compreensão ou não compreensão. Identificamos na teoria das mensagens e sinais do semiólogo Luis Jorge Prieto, um elemento semiológico denominado indicação circunstancial que tem o potencial de complementar as mensagens transmitidas por um sinal, levando o estudante à sua compreensão.  A hipótese principal partiu do pressuposto que tais elementos semiológicos transpostos para o contexto da Educação Científica, além de favorecer a compreensão de conceitos, podem servir como instrumentos para impelir o pensamento autônomo do estudante durante o processo de aprendizagem. O objetivo da pesquisa foi identificar o papel desses elementos semiológicos chamados indicações circunstanciais, na construção dos conceitos relacionados à experimentação animal de especismo, especismo eletivo, especismo elitista, utilitarismo e modelo preditivo. Trabalhamos tais conceitos com 14 alunos de um curso de Licenciatura em Ciências Biológicas de uma universidade pública do Estado do Paraná, Brasil. A intervenção didática utilizada para a realização do trabalho foi baseada em uma Unidade de Ensino Potencialmente Significativa (UEPS), no contexto da Aprendizagem Significativa Subversiva. Os dados foram coletados por meio da transcrição do discurso que ocorreu durante a intervenção e das produções e entrevistas com os alunos. 

Nº de pág.: 306

ISBN: 978-65-5917-067-8

DOI: 10.22350/9786559170678

ENCOMENDAR