O PROEJA como Inquilino: impactos preliminares do processo de implementação do programa no IF Sertão PE Campus Petrolina 2006-2013
 

Antonio Marcos da Conceição Uchoa

A fotografia da capa intitulada ‘desiguais’, de nossa autoria, nos veio à mente por sua capacidade de retratar falhas nas supostas linhas de produção de estudantes nas escolas públicas brasileiras. A concepção de um estudante modelar, como algo a ser superado, apontada no Documento Base do PROEJA para o Ensino Médio nos possibilitou a analogia de pregos postos um ao lado do outro, cuja fixação na madeira dependesse da mesma quantidade e intensidade de marteladas. Os pregos não são iguais, nem poderiam ser. A ‘desordem’ apontada por Santos (2006) causada pelo novo perfil de estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) na Rede Federal de Educação Profissional, imprimiu na história da EJA, da Educação Profissional e do próprio Ensino Médio novas formas de se fazer educação e gerou, dentro dos Institutos Federais, impactos inegáveis.

 

Antonio Marcos da Conceição Uchoa é pedagogo com habilitação em Educação de Adultos pela Universidade do Estado da Bahia-UNEB (2006). É especialista em Educação Profissional Integrada à Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos-PROEJA (2011) e Mestre em Educação Profissional pelo IFRN (2015). Atualmente é Pedagogo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, atua como Auxiliar para assuntos relativos ao Proeja FIC da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura do IF SERTÃO PE. Atua como Avaliador Ad hoc da Revista EJA em Debate do IF Santa Catarina. Tem experiência em assessoria e formações na área de Educação, com ênfase em Educação de Jovens e Adultos.

ISBN: 978-85-5696-031-3

Nº de pág.: 216

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0