Docta Spes e as utopias técnicas: antinomia como tensão na esperança em Ernst Bloch.
 

Nelson Costa Fossatti

A ontologia de Bloch propõe vários níveis na categoria da possibilidade, entre eles uma possibilidade subjetiva, que pressupõe a capacidade de o ser humano realizar sonhos diurnos e construir suas utopias, fato gerador de uma racionalidade instrumental, determinando o domínio do homem na natureza. Outro nível de possibilidade identifica, no movimento da natura naturans, “natureza que produz natureza”, certa imposição ao ser humano, determinando o domínio da matéria sobre o homem e consequente degeneração da matéria nesta relação. Este Docta Spes apresenta a solução blochiana para esse confronto. A “dialética do possível” se realiza através da convivência orgânica entre as tendências do ser humano e as latências da matéria. O estudo reflete esta possibilidade e verifica que o processo de instrumentalização do mundo revela a “dialética do possível” que pode ser solução incompreendida diante dos impactos decorrentes da dinâmica da matéria e da atividade humana, causando, por conseguinte, significativa tensão na docta spes, esperança esclarecida. Procura-se, então, demonstrar que os reflexos desse confronto são apropriados por dois movimentos: o primeiro decorre da instrumentalização do homem, já denunciado pela Escola de Frankfurt e não compreendido pelo homem no século XXI; o segundo tem como causa a evolução natural da ciência, colocando em curso tecnologias capazes de edificar uma nova singularidade no mundo. Neste sentido, o livro sugere repensar a solução de organicidade, homem-matéria, anunciada por Bloch, introduzindo como pressuposto o elemento ético nesta relação.

ISBN: 978-85-5696-030-6

Nº de pág.: 202

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0