O ensino de História nos anos iniciais do Ensino Fundamental: entre práticas e problemáticas

Sidney Miotti Neto

O ensino de História no Brasil pode ser caracterizado por suas tradições inventadas, conceito definido por Hobsbawm. Em seu processo de constituição como código disciplinar, a História esteve vinculada à ideia de nacionalidade, cuja função foi normatizar e legitimar a estrutura social brasileira desigual. Foi desde o século XIX uma composição elitista - uma construção intelectual baseada em figuras selecionadas como os fundadores da nacionalidade, articulados dentro de uma totalidade hermética e inevitável cujo ente principal era a figura do Estado centralizado e sua função a manutenção do status quo. Contudo, desde o final do regime de exceção ocorrido nos anos 1980, o ensino de História passa por um processo de reconstituição e desenvolve entre outras questões a crítica a esta ideia de um passado homogêneo e harmonioso. Como não se trata de uma situação resolvida, ainda é possível a existência de reminiscências desde os primeiros anos de escolarização por conta das condições educacionais brasileiras. Nesta linha, esta pesquisa busca investigar os resultados de pesquisas sobre a atividade do professor que ensina História nos primeiros anos do Ensino Fundamental em teses e dissertações que realizaram pesquisa de campo, tentando definir as principais dificuldades deste profissional, que, em geral, não possui formação específica e verificar se ocorre a manutenção de temáticas que exaltam a mitologia da pátria, visto que funcione como mecanismo de harmonização social.

ISBN: 978-65-87340-01-2

Nº de pág.: 175

© 2020 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0