O desafio da plenitude humana: por uma antropologia teológica da formação presbiteral 

Thiago De Moliner Eufrásio

Toda pessoa é uma questão para si mesma, quanto mais para outrem. Desde muito tempo o ser humano tem desvendado muitos mistérios acerca da vida, tem vencido obstáculos e superado inúmeras situações inusitadas. No entanto continua sendo ele mesmo o grande mistério, seja em âmbito filosófico ou teológico. O ser humano é inquieto diante de si mesmo, sem conseguir possuir-se ou compreender-se por inteiro. Sua busca por plenitude, por maturidade, encontra resposta em Jesus Homem-Deus, até tornar-se aquilo que Deus sonhara ao vê-lo como obra de suas mãos, constituído imagem e semelhança do próprio Criador. Neste universo se encontra o vocacionado ao presbiterato. Mergulhado na história e marcado pelos paradoxos de contingência e transcendência, finitude e infinitude, criatura semelhante ao Criador, com ânsia de plenitude e marcado pela vulnerabilidade. Abraçar, portanto, no processo formativo a ânsia por uma humanidade aberta à plenitude exige do formando, sobretudo, abraçar sua própria condição humana e nela abrir-se à transfiguração, mediante o encontro com Jesus. Ser pleno, ser santo, ser crístico é, antes de tudo, ser radicalmente humano, pois assim sendo o formando, assume em si o sonho de Deus, isto é, uma criatura feita imagem e semelhança do seu Criador.

ISBN: 978-85-5696-021-4

Nº de pág.: 140

© 2019 por LUCAS MARGONI & WIX ENGINE.

Todos os livros publicados pela editora Fi

estão sob os direitos da Creative Commons 4.0